Festival de Samba Reggae, Flipelô, Olodum e shows de samba animam programação do Pelourinho

A agenda apoiada pelo CCPI/SecultBA ainda tem espaço para gêneros como o reggae jamaicano e oficinas de percussão. Fotos: Sidney Rocharte.

Cheio de cantos e encantos, o Centro Histórico recebe atrações culturais que vão deixar baianos e turistas com o gostinho de quero mais. A programação conta com show de samba, reggae, ensaio do Olodum, Festa Literária, oficina de percussão e capoeira. A programação cultural é apoiada pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI).

Chegando a sua 3° edição, o FLIPELÔ – Festa Literária Internacional do Pelourinho, promoverá encontros no período de 7 a 11 de agosto. Na sexta (09), às 15h, o Centro de Culturas Populares e Identitárias, recebe o lançamento do livro de poesia ‘Azul Caixão’, da escritora Júlia Bicalho. Em sua exposição, a autora abre uma roda de conversa com o público e esclarece como foi o seu processo criativo. Também no CCPI fica aberta das 09h às 21h a livraria oficial do evento. Às 20h, o Grupo da CCR Metrô, Axé das antigas e Filhos de Jorge se apresentam no largo Quincas Berro D’Água, com muita animação, representação e atitude. Evento gratuito.

Ainda no dia 9, às 19h, a ‘Sexta Avassaladora’, com a banda Samba Trator, toma conta do Largo Pedro Archanjo, prometendo muita batucada, pandeiro, cavaquinho, palma da mão e muito samba no pé. Ingressos R$ 10. No largo Tereza Batista, no mesmo horário, acontece a edição especial do Reggae Raízes e Cultura, com Bruno Natty, Hotta Fyah Band, Ikefron, Danzi * Jahfreeka Soul e Discotecagem com o Fayakayano. Ingressos a R$ 5 e R$ 10.

No sábado (10), paixão e conhecimento se unem na oficina de percussão com o Mestre Memeu e o Grupo espanhol ‘Escuela Fortaleza’, no largo Pedro Archanjo, às 9h. O evento é gratuito. No turno da tarde, às 15h, a programação do FLIPELÔ continua a ação de entreter o público leitor, no Centro de Culturas Populares e Identitárias, com a Roda de Leitura com Acely Araujo, do Coletivo Ser de Arte, que terá a participação do conservatório de música Barro Branco e das crianças de Mata de São João. Entrada franca.

Tonho Matéria. Foto: Divulgação.

Já à noite, a diversidade toma conta dos largos. Às 19h, acontece o Festival de Samba Reggae, no Largo Tereza Batista, evento gratuito com Tonho Matéria e participações da Banda Didá, A mulherada, Noélia Marcelle, Allysa Anjos, Nivea Mafuani, Clariana Fróes, e Maitê Inaê, da Austrália. Descendo o largo Pedro Archanjo, às 20h, a banda Samba do Pretinho agita a noite no comando do Sábado Black. Entrada gratuita. No mesmo horário, o clima de reggae passa pelo largo Quincas Berro D’Água. O Salviaraiz volta aos palcos, trazendo muita animação no embalos do Dancehall com os convidados Fael Primeiro, Magnata King Faya e Fayakayano. Entrada R$10.

No domingo (11), às 09h, o Mestre Memeu e o Grupo Escuela Fortaleza voltam a ministrar a oficina de Percussão gratuita, no largo Pedro Archanjo. Já das 10h às 17h, no largo Quincas Berro d’ Água, a FLIPELÔ homenageia os dias dos pais com parceria do Esporte Clube Bahia. A programação conta com o lançamento de livros, narrações de histórias, presença da Loja Oficial e tricolíderes.

No mesmo dia, os sons dos tambores irão ecoar pelo largo Tereza Batista, o Ensaio do Bloco Olodum promove o festival Agosto da Igualdade, relembrando os 221 anos da Revolta dos Búzios. Ingressos R$50,00. Às 16h, o grupo Samba Miudinho e Samba de Painho promove show gratuito em comemoração ao dia dos pais, no largo Pedro Archanjo.

Na segunda (12), tem o terceiro dia da oficina de percussão do Mestre Memeu e o Grupo Escuela Fortaleza, às 09h, no largo Pedro Arcahanjo. E às 16h, acontece a oficina de Capoeira Angola com o Mestre Noronha, no largo Tereza Batista. Serviços gratuitos.

Na terça (13), às 20h, acontece a 3° edição do Intercâmbio Cultural com Make up Foundation of the Art and Culture e o Muzenza, o evento conta com atrações internacionais, Show Folclórico de música e danças do Caribe Colombiano e muitas batidas afro percurssiva. Entrada R$ 5 e R$ 10.

Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) é responsável pela execução, proteção e promoção das políticas públicas de valorização e fortalecimento das manifestações populares e de identidade, orientadas de acordo com o pensamento contemporâneo da Unesco e do Ministério da Cultura. Seu campo de atuação contempla a cultura do sertão, de matrizes africanas, ciganas e indígenas, LGBTQ+, infância e idosos. Coordena a programação artística dos largos do Pelourinho e suas grandes festas populares.

Por Assessoria de Comunicação – SecultBA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.