Dia do Maçom é comemorado com Sessão Solene na Ales

Entrega da Comenda Domingos Martins e reconhecimento a trabalho social da maçonaria foram destaque no evento

Hélio Sodré recebeu a Comenda Domingos Martins. Foto: Tati Beling.

O Legislativo capixaba realizou sessão solene na noite de terça-feira (20) para celebrar o Dia do Maçom (20 de agosto). O objetivo foi homenagear o trabalho realizado pela maçonaria no Espírito Santo. 

Entre as ações, destacam-se as de caráter social, como a do Instituto Ponte, ligado ao Grande Oriente do Brasil, que atende com recursos privados 128 alunos carentes de 15 municípios. O programa seleciona, desenvolve e acompanha alunos da Grande Vitória a partir do 6º ano do ensino fundamental até a conclusão de graduação em nível superior. 

Confira as fotos da solene

O presidente da Casa, deputado Erick Musso (PRB), destacou que os programas de cunho social são uma das marcas dos maçons. Segundo ele, a maçonaria apoia projetos que envolvem grande soma de recursos financeiros e também pratica ações mais simples, mas de grande importância para os mais carentes. 

O deputado citou como exemplos a reconstrução do Hospital São Camilo, no município de Aracruz, que custou R$ 40 milhões; e o trabalho de um grupo de mulheres na Loja Maçônica de Coqueiral de Aracruz, na confecção de roupas de crochê e sapatinhos de crianças e doação a mães carentes. 

“Precisamos valorizar instituições como a maçonaria, o Rotary Clube e as igrejas, que são instituições que desempenham importantíssimos trabalhos na área social”, declarou o presidente. 

Inciativas da Grande Loja Maçônica do Espírito Santo também foram citadas no evento. O grão-mestre Walter Alves Noronha destacou ações nas áreas de assistência social, saúde, educação, voluntariado e cultura. 

“Temos um foco também na consciência cidadã e, para isso, realizamos palestras nas escolas e outros espaços públicos, abordando diversos temas”, disse. 

O grão-mestre do Grande Oriente do Brasil no Espírito Santo, Hélio Sodré, afirmou que a Ordem vai completar 200 anos de existência no Brasil, e no estado a primeira loja foi fundada há 150 anos. “E vamos viver muito mais, porque existe amor entre nós”, disse. 

Sodré ressaltou que a maçonaria trabalha em benefício do outro. “Que saiamos daqui (da sessão solene), mais maçons do que quando entramos. Contamos com a ajuda do Grande Arquiteto (nome usado pelos maçons para se referir ao Criador)”. 

Comenda Domingos Martins

Hélio Sodré e Walter Noronha foram condecorados com a Comenda Domingos Martins (a mais alta honraria da Casa) no grau de Cavaleiro. 
Sodré é coronel aposentado da Polícia Militar (PMES), onde ocupou diversos cargos de relevância e chegou a comandar a instituição, em 1999. É graduado pela Escola de Oficiais da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e pós-graduado em gestão empresarial. 

Já Walter Noronha foi iniciado na maçonaria em 1983; é empresário do ramo de contabilidade, tendo sido presidente do Conselho Regional de Contabilidade. É ex-presidente da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil. 

O proponente da sessão solene, deputado Doutor Hércules (MDB), que é maçom, afirmou que a instituição tem a “nobre missão” de lapidar o homem em sua pedra bruta, num polimento que torna o seu espírito reluzente, voltado para as grandes obras e para o bem. 

“O verdadeiro maçom pratica o bem e leva solidariedade ao ser humano; o que lhe importa é preparar homens melhores dentro de uma sociedade melhor”, destacou Hércules. 

O deputado Luciano Machado (PV) também compareceu à cerimônia.

Por Wanderley Araújo – Web Ales.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.