Banestes: Eduarda La Rocque promete criar um arcabouço inovador de financiamento

La Rocque vai realizar a importante atribuição de assessorar a alta administração para o melhor posicionamento do Banestes. Fotos: Hélio Filho.

A ex-secretária de Fazenda do município do Rio de Janeiro, Eduarda La Rocque, assumiu, nesta terça-feira (1º), a função de economista-chefe do Banco do Estado do Espírito Santo – Banestes SA. La Rocque ocupava, desde janeiro deste ano, a diretoria técnica do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), onde idealizou o Índice de Prosperidade do Espírito Santo (Ipes), que vai guiar o desenvolvimento regional sustentável do Estado. La Rocque é a primeira mulher a ocupar a função de economista-chefe do banco.

A economista terá o desafio de produzir análises de dados econômicos, financeiros e estatísticos para a formulação de projetos e também como subsídio para decisões e estruturações políticas do banco. Além disso, La Rocque vai realizar a importante atribuição de assessorar a alta administração para o melhor posicionamento do Banestes no Estado e no mercado das instituições financeiras, dentre outras competências.

“Estou muito entusiasmada com a oportunidade de contribuir com o Governo do Espírito Santo, que está numa posição diferenciada para se projetar nacional e internacionalmente, com um modelo de desenvolvimento sustentável e inclusivo. Uma das minhas principais atribuições será criar um arcabouço inovador de financiamento para este modelo”, enfatizou La Rocque.

De acordo com o governador do Estado, Renato Casagrande, o Banestes deve ser um mecanismo desenvolvimento.

O governador do Estado, Renato Casagrande, destacou o importante trabalho que o IJSN e o Banestes têm feito para o desenvolvimento do Estado. Ele ressaltou a importância da renovação na diretoria do banco e de La Rocque ocupar o cargo recém-criado de economista-chefe. “O Banestes é um banco comercial e precisa ter resultado. Nós temos um banco muito bem gerenciado e importante, além de ser uma marca que os capixabas gostam muito. É o maior banco do Estado e, para que continue existindo, tem que cumprir algumas funções”, afirmou.

De acordo com Casagrande, o Banestes deve ser um “mecanismo do nosso desenvolvimento, financiar setores estratégicos para a sociedade e ser inovador”. Segundo o governador, “o Banestes faz parte de tudo o que desejamos para o nosso Estado, que é ser desenvolvido e justo”. Ele desejou ainda as boas-vindas para La Rocque na nova função: “Vamos trabalhar muito para os capixabas”, pontuou.

O presidente do Banestes, José Amarildo Casagrande, seguiu na mesma linha e celebrou o fato da instituição financeira ter um grande reconhecimento por parte dos capixabas:

“O Banestes é um banco forte, que faz parte da história do nosso Estado. E é por meio das pessoas que o compõem que reforçamos, ano após ano, essa imagem positiva do Banco. Para nós, é uma honra termos em nosso quadro pessoas de alta qualificação e capacidade técnica, que agregam na tomada de decisão em prol do desenvolvimento da economia local. Auditores, conselheiros, assessores, consultores, todos têm um papel fundamental na composição desse time de especialistas. Desejo as boas-vindas à Eduarda e tenho certeza que ela será mais um grande nome no fortalecimento da história e das conquistas do Banestes”, disse o presidente do banco.

Também estiveram presentes na solenidade, os secretários de Estado Álvaro Duboc (Economia e Planejamento), Nara Borgo (Direitos Humanos), Cristina Engel (Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional), Fabricio Noronha (Cultura), além do diretor-presidente do IJSN, Luiz Paulo Velloso Lucas, da diretoria do Banestes e da escritora e poetisa Viviane Mosé, que é uma das embaixadoras do programa Cultura Conecta.

Por Giovani Pagotto e Rafaella Rodrigues.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.