BEM se consolida como maior evento de energia renovável do nordeste

Em três dias, o evento reuniu diferentes fontes para abordagem de temas variados sobre energia renovável. Foto João Ramos.

Além da realização em sequência de palestras simultâneas, o último dia do Bahia Energy Meeting, realizado no Sinai Cimatec, em Salvador, foi marcado pela presença do secretário adjunto de Planejamento e Desenvolvimento energético do Ministério de Minas e Energia (MME), Hélvio Guerra.

Durante os três dias de evento, cerca de 70 palestrantes de diversas empresas, associações e órgãos do governo, compartilharam conhecimentos com os participantes, que também tiveram a oportunidade de conhecer novas soluções de mercado e realizar novos negócios.  Entre os principais assuntos abordados, estão energia eólica, solar, biogás e as tecnologias renováveis.   

Os assuntos de maior destaque foram a regulamentação da geração distribuída, as perspectivas futuras para energia eólica, os desafios do mercado livre como vetor de expansão dos investimentos em infraestrutura e os novos arranjos tecnológicos, a exemplo dos sistemas híbridos.

Segundo o secretário Hélvio Guerra, todo o processo de modernização do setor elétrico já está em curso no ministério, que está focado em fazer os ajustes necessários.

“Quando falamos em abertura de mercado, hoje 30% do mercado é livre e tende a crescer. Isso tem que ser trabalhado com bastante segurança, e não pode se dar de forma precipitada, pois na medida em que você abre o mercado você transfere consumidores que estavam no regular para o livre, você diminui a base de pagantes do regulado e consequentemente pode haver uma oneração para esses consumidores. Então são esses cuidados que a gente discute – infraestrutura, abertura de mercado, segurança energética, segurança do fornecimento, do preço, tarifa, e como trabalhar de forma adequada essa migração de algumas fontes que vão para o mercado livre”, explica.

Ainda de acordo com o secretário, “a palavra-chave hoje do MME é cautela. Cuidado ao traçar as políticas, ao pensar em reforma de legislação e estar em constante discussão com o legislativo”, conclui.

Para o idealizador do evento, Rafael Valverde, o debate realizado ao longo dos três dias foi enriquecedor, dinâmico e contribuiu para a proposta do evento de transformar a Bahia num dos principais protagonistas desse mercado.

“A participação dos principais agentes setoriais, entidades e algumas das maiores empresas do Brasil corroboraram para que o Bahia Energy Meeting passe a figurar em posição de destaque no calendário de eventos do mercado de energia do país, haja vista, o interesse de participantes de 14 estados brasileiros”, declara.

Outro ponto de destaque são as grandes oportunidades de geração de biogás através de resíduos sólidos de efluentes líquidos para geração de energia e cogeração qualificada.

“A Bahia por ter segmentos fortes em agronegócios, agropecuária, e industrias, pode ter um crescimento exponencial nos próximos anos com essa matriz renovável”, afirma Eduardo Aragon, CEO da Brainmarket.

Sobre o evento, Aragon afirma que “a grande virtude do BEM foi ter sido muito objetivo na relação palestrantes versos público, versos empresários do setor. Ano que vem daremos continuidade com o Bahia Energy Meeting abordando outras fontes”. 

Fotos: João Ramos (https://www.flickr.com/photos/185820083@N06)

Por Bruna Sant’Ana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.