Curso “Mulher Empreendedora” chega a Barra de São Francisco

Teve início em Barra de São Francisco, região noroeste do Espírito Santo, na última segunda-feira (02) e vai até o dia 26 de março, o curso “Mulher Empreendedora”, que faz parte da segunda fase do Projeto “Elas no Campo e na Pesca”. A realização é do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Secretaria da Agricultura, Aquicultura e Pesca (Seag), Secretaria Municipal de Agricultura e Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf).

O objetivo é proporcionar um entendimento sobre empreendedorismo da ótica feminina, mostrando a força que as mulheres têm para impulsionar o mercado. Visa ainda a contribuir com o despertar delas quando se lançam ao mercado como empreendedoras.

“Nas últimas décadas, a quantidade de negócios abertos por mulheres no Brasil mais que dobrou. Porém, existem muitos desafios que permeiam o empreendedorismo feminino e para as mulheres do campo esses desafios são ainda maiores, em função de questões sociais e culturais e pela maior dificuldade em obter orientações e formações na área. Nesse sentido, um dos eixos do projeto “Elas no campo e na pesca” é trabalhar o empreendedorismo feminino com o nosso público e oportunizar a essas mulheres os instrumentos e conhecimento necessários para obterem sucesso em seus negócios”, ressaltou a coordenadora de projetos da Seag, Patricia Ferraz.

A programação conta com conteúdo programático diferencial feminino, com aspectos envolvidos na ação empreendedora e motivos que levam as mulheres a empreenderem, além da participação feminina nos negócios no Brasil e competências que precisam ser desenvolvidas.

“As capacitações sobre empreendedorismo que vimos realizando com as mulheres nessa parceria têm mostrado o quanto elas precisam de apoio para seguir suas ideias, investir em habilidades, descobrir potenciais ainda adormecidos e superar os desafios que o gênero feminino ainda enfrenta, sobretudo no meio rural, onde o acesso a cursos e oportunidades como essas que estamos propondo é mais escasso. Ao levar informações e conhecimento para as mulheres rurais e da pesca, especialmente sobre empreendedorismo, estamos contribuindo para o desenvolvimento do País, para a geração de mais oportunidades no campo e, consequentemente, para a geração de renda a tantas famílias”, ressalta a assessora da diretoria técnica do Sebrae, Christiane Castro.

O curso é realizado por quatro dias, durante todos o mês de março, e conta com 15 participantes por turma. A Secretaria de Agricultura de Barra de São Francisco também é parceira no evento.

“O curso é de grande importância para nossa região. Trabalhamos a autoestima da mulher, o potencial que tem para gerir os negócios da família, além de motivá-las a buscar ainda mais informações e capacitações para que seus produtos tenham cada vez mais qualidade”, disse a técnica da Secretaria de Agricultura de Barra de São Francisco, Zélia Alberto da Silva.

Para a agricultora Raquel Rodrigues, o momento mostrou a força da mulher nos negócios. “Fomos privilegiadas por participar de um curso tão enriquecedor, que nos abriu novos horizontes e nos mostrou o quanto a união é importante nesse processo. Somos capazes de empreender, de gerar renda e, principalmente, a oportunidade de sermos vistas e valorizadas no mercado”, disse.

“Elas no Campo e na Pesca: Empreendedorismo, Liderança e Autonomia”

O projeto “Elas no Campo e na Pesca: Empreendedorismo, Liderança e Autonomia”, coordenado pela Seag e com a gestão técnica e operacional sendo realizada pelo Incaper, foi elaborado tendo como diretriz o Plano Estadual de Políticas para as Mulheres do Espírito Santo (PEPMES) e compõe o “Programa Agenda Mulher”. Trata-se de um projeto coordenado pela Secretaria da Agricultura, Aquicultura e Pesca.

O projeto foi construído por um Grupo de Trabalho (GT), que atua tanto no planejamento quanto na realização das ações, com representantes do governo e da sociedade civil, a partir da aplicação e sistematização de um questionário e de reuniões com técnicas e lideranças que atuam na área rural e da pesca. O GT é composto pelos seguintes parceiros: Idaf, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Sebrae, Movimento de Educação Promocional do Espírito Santo (Mepes), Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Ministério da Agricultura, Secretarias Municipais de Agricultura de Alegre e de Santa Teresa, Secretaria da Saúde (Sesa), Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado do Espírito Santo (Fetaes), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras do Espírito Santo (OCB), Cooperativa dos Cafeicultores do Sul do Estado do Espírito Santo (Cafesul), APAPS, ASPEJ, Colônia Pesca de Vila Velha.

O projeto encontra-se estruturado em rede e conta com técnicos (pontos focais) em cada município do Estado, sendo eles: Incaper, IDAF, Secretarias Municipais de Agricultura, Sindicatos de Produtores Rurais e Sindicato de Trabalhadores Rurais.

Texto: Vanessa Capucho

AGRONEGÓCIOS CIDADES Cultura DIREITO & JUSTIÇA Economia Geral Internacional NOTÍCIAS OPINIÃO OPORTUNIDADES Política

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *