Renato Casagrande e Guerino Zanon participam de inauguração de usina solar em Linhares

A planta gera 2.489 megawatt-hora (MWh) por ano, suficiente para abastecer mais de mil residências por mês. Foto: Felipe Tozatto

O governador do Estado do Espírito Santo, Renato Casagrande, acompanhado do prefeito de Linhares Guerino Zanon participaram, na manhã desta terça-feira (10), da inauguração da usina fotovoltaica da Brametal, no município de Linhares, localizada próximo ao complexo industrial da companhia no distrito de Rio Quartel.  A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, por meio da EDP Smart, divisão que reúne o portfólio de soluções em energia da Companhia, foi a responsável pela construção, que é uma das maiores usinas solares do Espírito Santo. 

Renato Casagrande e Guerino Zanon foram recebidos pelo Presidente do Conselho da Brametal, Ricardo Minato Brandão e pelo Vice-preisdente de Estratégia e Desenvolvimento de Novos Negócios da EDP, Carlos Andrade, além dos demais diretores da Brametal  e da EDP.

“Quando a gente aproveita a energia solar, temos uma demonstração clara da geração de energia não agressiva”, frisou Renato Casagrande. Foto: Hélio Filho/Secom

Em sua fala, o governador destacou a importância de investimentos em energia limpa, sustentável e renovável. “É bom participar dessa inauguração, que vai na direção contrária ao desânimo que estamos vivendo. Ao mesmo tempo mostra que devemos ter crescimento com sustentabilidade. Quando a gente aproveita a energia solar, temos uma demonstração clara da geração de energia não agressiva. O desequilíbrio ambiental foi causado pelo crescimento sem controle do homem”, disse.

Casagrande destacou que a tecnologia das placas que acompanham a direção do sol pode ser exportada para outros estados e países. “Não existe caminho sem inovação para criarmos um mundo mais sustentável. Linhares tem sido um porto onde as empresas estão ancorando seus projetos. A cidade passou a ser uma locomotiva do desenvolvimento do Estado”, frisou o governador.

O prefeito de Linhares, Guerino Zanon. Foto: Felipe Tozatto

O prefeito de Linhares, Guerino Zanon, pontuou que o parque solar da Brametal irá ajudar a reforçar a estrutura energética do Espírito Santo em uma área que se desenvolve muito rapidamente e vem recebendo grandes investimentos do setor metalmecânico, que é o caso do distrito de Rio Quartel.

“Precisamos destacar o pioneirismo da Brametal, que ao investir neste parque de energia limpa, além de contribuir para a economia da própria economia, irá reforçar suas políticas de desenvolvimento que buscam por soluções focadas no uso eficaz de recursos renováveis. Além de representar substancial redução de despesas da empresa, reforça a sua missão de promover, através do desenvolvimento sustentável, qualidade de vida, conveniência e geração de valor”, destacou o prefeito.

O Presidente do Conselho da Brametal, Ricardo Minato Brandão. Foto: Felipe Tozatto

O Presidente do Conselho da Brametal, Ricardo Minato Brandão, destacou no caso específico da obra, a agilidade das negociações entre EDP e Brametal, e da sua execução num prazo de cerca de 18 meses no total. Ele também agradeceu ao prefeito Guerino Zanon e ao Governador Renato Casagrande pela confiança e parceria, valorizando empreendimentos inovadores em tecnologia no Espírito Santo.

“Nos últimos anos nos dedicamos ao desenvolvimento de suportes fixos e móveis, os seguidores solares, agora aplicados neste projeto. Além dos benefícios economicos que serão aqui gerados, vamos contabilizar o aumento nas vendas de nossos seguidores solares, com tecnologia 100% deigital, desenvolvida por nosso corpo técnico. A Brametal estuda ampliar mais a sua participação neste mercado, com a fabricação de outros componentes para geração solar. Estamos assim sempre atentos acompanhando a evolução dos mercados”, destacou Ricardo Brandão.

Carlos Andrade, vice-presidente de Estratégia e Novos Negócios da EDP Brasil. Foto: Hélio Filho/Secom

“Com essa planta solar, a EDP entrega à Brametal uma solução que combina eficiência energética e sustentabilidade, rendendo ganhos financeiros e ambientais. Trata-se de um dos maiores empreendimentos do gênero no Espírito Santo, contribuindo para reforçar a posição do Estado no segmento das energias renováveis”, destaca Carlos Andrade, vice-presidente de Estratégia e Novos Negócios da EDP Brasil.

“Além do ganho em sustentabilidade, temos orgulho em contar que esse é o primeiro Parque Solar do Espírito Santo com o uso de seguidor solar, tracker, e com tecnologia comparada às utilizadas em Usinas Solares Fotovoltaicas para Geração Centralizada de Energia Elétrica, ou seja, UFV com mais de 5 MW. Como empresa tradicional no fornecimento de produtos para geração e transmissão de energia elétrica, queremos participar deste crescente mercado. E ao unirmos expertises, a partir de agora, poderemos demonstrar na prática aos nossos clientes que temos a melhor tecnologia, que é 100% nacional, para produzir o que o mercado precisa com a qualidade e prazos que conquistaram a confiança dos clientes nos quase 45 anos de atuação da Brametal”, afirma Alexandre Schmidt, diretor comercial e marketing da Brametal.

Foto: Felipe Tozatto

Também participaram do evento o deputado estadual Marcos Garcia, os vereadores Tarcísio Silva e Tobias Cometti, empresários, lideranças comunitárias, colaboradores da Brametal e EDP.

Planta Solar

A planta gera 2.489 megawatt-hora (MWh) por ano, suficiente para abastecer mais de mil residências por mês. Foto: Felipe Tozatto

A Brametal tem uma das maiores fábricas do mundo em produção de estruturas metálicas galvanizadas a fogo para geração e transmissão de energia elétrica, telecomunicações e geração de energias renováveis a partir de fontes eólica e fotovoltaica.

A planta gera 2.489 megawatt-hora (MWh) por ano, suficiente para abastecer mais de mil residências por mês. A expectativa é de que a usina reduza os custos da empresa em R$ 360 mil por ano.

A usina solar é composta por 3.780 módulos fotovoltaicos distribuídos em uma área de cerca de 40 mil metros quadrados, aproximadamente o tamanho de seis campos de futebol. Conta ainda com a tecnologia de tracking, na qual os módulos se movem de acordo com as mudanças no ângulo dos raios solares para um maior aproveitamento da irradiação. A energia gerada na unidade evitará a emissão de 260 toneladas de CO², o que equivale ao plantio de 1.925 árvores.

Por Giovani Pagotto e Alexandre Araújo, com edição de A Imprensa Online

AGRONEGÓCIOS CIDADES Cultura DIREITO & JUSTIÇA Economia Geral Internacional NOTÍCIAS OPINIÃO OPORTUNIDADES Política

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *